No dia 18 de fevereiro de 2022, o projeto “conversa com valores” contou com a participação do Exmo. Sr. Coronel da GNR, Gonçalo Carvalho.

Os alunos do 9º ano tiveram a oportunidade de partilhar experiências com um Antigo Aluno que começou a sua apresentação relembrando que teve o privilégio de viver nesta casa entre os seus 10 e 18 anos.

Descreveu o seu percurso de vida, bem como os momentos mais marcantes vividos no Instituto, determinante para o seu sucesso profissional e pessoal. Foram os valores que aqui lhe foram incutidos que marcaram e continuam a marcar a sua postura perante a vida.

Nem tudo foi fácil no seu percurso enquanto aluno. Deixar o conforto do seu lar, da sua aldeia em Alpiarça e vir para uma escola interna com alunos muito mais velhos, foi difícil… Desde cedo aprendeu a importância de respeitar as regras, ordens, valores e de liderar de uma forma construtiva e transformadora. A resiliência, a capacidade de adaptação foi o que aprendeu em primeiro lugar. O respeito pela hierarquia e o dever de tutela.  Em simultâneo com o rigor, a disciplina e o patriotismo.

A importância de se concentrar no estudo e melhorar o aproveitamento surgiu no 9.º ano. Nesse ano, surgiu a necessidade de definir os seus objetivos de vida. O que queria alcançar, aonde é que queria chegar. Melhorou os resultados escolares e no final de 8 anos de vida no Pilão entrou na Academia Militar.

Dos Pupilos trouxe consigo amigos para a vida. A amizade eterna e o respeito mútuo é algo que se adquire no Instituto de uma forma única.

Depois de uma recruta intensa e muito dura, entrou na GNR.

Lições aprendidas: Convicção e Afirmação, recompensa pelo esforço ao receber o prémio Firmino Miguel nos Pupilos.

Na GNR, a prova de fogo. Escolheu a unidade de intervenção e ordem pública.

A GNR porquê? Estar na GNR significa garantir a segurança dos outros em qualquer circunstância, enfrentar os perigos, a dureza, o sofrimento, salvar vidas, promover a segurança do nosso país e de quem nos visita. Profissionalismo, disciplina e dedicação.

Em Timor-Leste, participou na história de outro país.

No Iraque, liderou as operações especiais, sentiu a dureza e a incerteza, o risco e o valor da vida. Na sua missão de Imposição da Paz salienta a importância do trabalho de equipa, da camaradagem e da superação, o que obriga a uma enorme preparação, confiança e humildade.

Tudo isto aprendeu nos pupilos: Gratidão e responsabilidade pelo próximo.

Uma das principais perguntas que colocou foi, qual é a grande diferença entre ser Comandante e ser Líder?

As respostas foram corretas e em síntese explicou que o Comandante tem a responsabilidade de dar ordens, o Líder, influencia a cumprir ordens de forma motivada. Dar o exemplo e motivar para cumprir a missão. 

Esteve também em missão em Itália.

Fez dois anos de doutoramento na área da educação. Teve de interromper para ir para a Ucrânia. Foi formador e assessor da polícia ucraniana.

Regressou a Portugal e foi o culminar de um sonho…. É Comandante do seu distrito – Santarém.

Como reflexões finais, procurou chamar a atenção dos alunos para:

  • Procurarem a sua vocação 
  • Os valores são base do sucesso
  • Esforço dedicação e acreditar 
  • Fazer a diferença 
  • Serem felizes!

Sem esforço, sem dedicação, sem acreditar nada se consegue!