Realizou-se no passado dia 28 de janeiro mais uma “Conversa com Valores”, desta vez entre o Sr. Dr. Nelson de Brito e os alunos do 7.º e 9.º ano de escolaridade.

O orador, Dr. Nelson de Brito começou por informar a audiência que estudou no Instituto durante onze anos, tendo iniciado o seu percurso em 1982.

A sua apresentação foi dividida em 6 momentos da sua vida.

No primeiro momento, enumerou as principais características que aprendeu e desenvolveu no Instituto:

Resiliência: de um conjunto de 1000 candidatos entraram 60 e chegaram ao fim 4. Foi Comandante de Batalhão no letivo de 1992/1993.

Audácia: ser capaz de superar dificuldades com determinação e coragem.

Lealdade: ser leal não é estar sempre de acordo.  É discutir em conjunto e no momento da decisão seguir em frente.

Trabalhador: sem trabalho nada se consegue. A vida é dura, mas esta escola prepara-vos para isso.

Liderança: liderar pelo exemplo. Sou sempre o primeiro a entrar e o último a sair no meu trabalho.

O segundo momento, foi o da entrada no mercado de trabalho quando terminou o curso superior de contabilidade e administração no IPE. Teve na altura a possibilidade de entrar numa grande empresa, mas optou por uma pequena empresa de antigos alunos. Porquê?

Foram várias as respostas dos alunos, mas nenhum conseguir acertar na reposta correta: “Porque privilegiei quem é que me podia ensinar mais, muito mais que o ordenado. Queria estar num sítio onde pudesse aprender todos os dias.” Esta é uma lição a aprender: “para termos impacto na sociedade temos de permanentemente querer continuar a aprender” A principal característica para que se torne possível, é saber ouvir. Quando deixamos de ouvir deixamos de aprender. Ouvir é interiorizar, refletir e aprender.

No terceiro momento, saiu da empresa de serviços e foi para uma fábrica no Cartaxo. Sentia a necessidade de aprender o modo como uma fábrica funcionava. Queria aprender mais, conhecer diferentes realidades de trabalho.

O quarto momento, foi aquele no qual foi para Lisboa para uma empresa, e com 28 anos, foi o diretor mais jovem de sempre em Portugal, e foi pai. Aos 32 anos foi Diretor geral de uma multinacional de chocolates e bolachas.

O quinto momento: em 2009 construir uma universidade, a universidade Europeia. Deslocou-se para Espanha. Foi diretor de uma universidade que tem um campus com o tamanho de 24 campos de futebol e 30 mil alunos. No IPE aprende-se a ter um propósito na vida. O empenho naquilo que faz tem que ter impacto.

A educação é muito importante. Considera, em termos de balanço, que contribuiu para que os alunos desta universidade fossem melhores pessoas.

“O que é que lhe deu animo?” Perguntaram os alunos. Dedicar tempo para os alunos sob o meu comando marca uma pessoa. Temos de marcar a diferença e tentar sempre ser melhores. Temos de tentar ser boas pessoas.”

O sexto momento é aquele no qual deixou a educação e foi para a área da saúde.

O Dr. Nelson de Brito teve de se reinventar 3 vezes: passou da área de empresas de bebidas e alimentação para a Educação e em seguida para a saúde.

É atualmente Diretor do grupo do Hospital da Luz que engloba 30 hospitais a nível nacional e um a nível digital que opera a nível mundial.

“É o dono do hospital da luz?” perguntou uma aluna.

“Não! Sou dono da minha cabeça.  Os acionistas é que são os donos. O meu impacto é manter os melhores cuidados de saúde. Não sou médico, mas ajudo os médicos”.

Perante a pergunta sobre quais os acontecimentos ou escolhas das quais se arrepende, foi o facto de estar afastado dos seus pais…deu muita importância a tudo o que se passava no Instituto e deu pouca atenção aos seus pais. Chamou a atenção dos alunos presentes para não deixarem que isso lhes aconteça porque tudo passa muito depressa. Ter um propósito na vida tem muitos custos…na sua saúde…esquecer-se das coisas mais básicas…querer salvar as pessoas…não descansar…não estar com a família, com os amigos….

A conversa fluiu e foi sem dúvida “uma conversa com valores” e o conselho que deu foi “Procurem ser felizes”, “Se sinto saudades?” “Sempre”

No final da conversa, o orador trocou de posição e em vez de responder a perguntas, colocou uma pergunta aos alunos: “O que é que guardam de mim?”

As respostas foram, a importância das palavras, “Liderar pelo Exemplo”, “Ser Leal”, “Não deixar que a escola nos afaste dos nossos pais”, “Ser Camarada”.

Para terminar, os alunos questionaram, como é que podemos voltar a ter tantos alunos?

A resposta foi breve e objetiva: “São vocês os responsáveis. São vocês as conversas que tem com os vossos amigos o que escrevem nas redes sociais. São vocês que passam o testemunho…”