Parti.

Saí,
deixei-te naquele momento sem saber se algum dia te voltaria a ver.
Conheci-te vestida de rosa, “metamorfosicamente” enamorei-me de ti quando te vi de branco
e o meu coração cedeu
quando o azul é o que preenche o teu Ser.

Hoje voltei, verdadeiramente, a casa.
Percorrer os corredores que conheci enquanto menino e me viram crescer.
Correr nas tuas paradas, quando homem comecei a ser.
Foram dias, meses e anos em que amor eterno ambicionei sempre por ti ter.
E hoje, contrariamente ao que a vida me ensina, sei que amor eterno por ti irei sempre ter.
Como é bom voltar a casa.

Vando Correia (20000293)
Maio2019