À Coronel Aluna Laura Velasquez, do Colégio Militar de Porto Alegre, o nosso agradecimento e a nossa Continência por tudo o que este texto encerra:

“27 de maio de 2019. 7:00 a.m

A delegação do Colégio Militar de Porto Alegre encerra sua missão no Instituto dos Pupilos do Exército, em Lisboa. Após uma semana imersos na rotina do IPE, despedir-se de Portugal foi difícil, ainda mais com a companhia de três pupilos e do próprio comandante do Instituto no caminho ao aeroporto.
O tão aguardado intercâmbio, apesar de rápido, sempre foi sonho de muitos desde a mais tenra idade. Inclusive foi meu, desde o meu segundo ano no CMPA, em 2014, quando vi por vez primeira as fardas azuis, o sotaque claramente estrangeiro mas reconhecível e o tão falado “jacaré” desfilarem no pátio, e tive a certeza de que correria atrás desse objetivo e que me faria merecedora de conquistá-lo.
Para todos, foi em parte um exercício de paciência. O longo processo seletivo, baseado no rendimento do ano anterior, porém, foi vencido com resiliência e disciplina pelos alunos, apesar dos anseios de ver um sonho praticamente em vias de se materializar.
Enfim, ao chegar, quem saberia medir o quanto aproveitaríamos em apenas uma semana? Quantas coisas aprendidas, quantos exemplos transmitidos, quantas palavras trocadas, quantas histórias contadas, quantos lugares desvendados. A recepção do IPE foi impecável e fez rapidamente sentirmo-nos em casa nas dependências acolhedoras do Pilão. Tantas vezes imaginada pelos alunos, a viagem saiu melhor do que nos sonhos. A honra de participar das formaturas com os pupilos, aprender seus movimentos, suas saudações, fez com que nos sentíssemos realmente parte desta casa, e o que mais se ouvia entre a delegação de Porto Alegre quando os últimos dias se aproximavam era, “não quero ir embora, vamos ficar mais um pouco. Vou sentir saudade dessas pessoas e desse lugar”.
Com nosso “jeito brasileiro”, encantamos e fomos encantados. Criamos laços -mesmo os mais tímidos de nós- trocamos gírias, músicas e piadas, comemos maçã de Alcobaça e peixe, compartilhamos alguns medos e incertezas juvenis, aprendemos, ensinamos e reforçamos valores. Tudo isso na semana mais proveitosa dos últimos tempos, que ficará marcada no coração de todos.
Percebendo minha apatia após as despedidas, disse-me, enquanto dirigíamo-nos ao embarque, um colega do CMPA: “as coisas mais belas, e justamente as mais belas, são findas. Terminam, mas ficam conosco, e por isso são belas”. Nisto há muita razão, pois a experiência que tivemos, embora breve, nos fez crescer de maneira imensurável, e nos fará ter muitos motivos para voltar a Lisboa e a Portugal. Aos amigos que fizemos, nossa gratidão e que nos guardem até o reencontro. Ao Pilão, que sempre lembrem e contem com o Casarão. O oceano que nos separa é o mesmo que hoje nos une.
A delegação do CMPA deseja ótimas férias aos Pupilos e sucesso aos Finalistas na nova jornada que se aproxima. Fica sempre o convite para uma visita.
Zum Zaravalho! Salvé!

Coronel-aluna Laura Velasquez, Comandante do Batalhão Escolar”