marquessantosSignifica que, no regresso ao seu ecletismo, desenhou o figurino de uma nova estrutura e objectivos. Escolheu a alternativa retomando o velho paradigma, à semelhança de um dos seus mais fortes e tradicionais domínios de formação, o ensino técnico, com a oferta de cursos profissionais de nível 3, perspectivando-se no pós-Secundário, o lançamento dos Cursos de Especialização Tecnológica (CET), numa afirmativa correspondência a necessidades de empresas, com benefício dos apoios e da cobertura do projecto, resultantes de protocolos e parcerias, a elaborar com entidades.
Com a aproximação do Centenário inicia-se, assim, uma etapa que, ao mesmo tempo, relança a sua história e restitui confiança aos seus intérpretes.
cemeA luta do anterior Director, Exmo. Senhor MGen João Marques dos Santos que acreditou, iniciando em 2007/2008, com determinação e empenho, este novo trilho abrindo espaço por entre contactos com empresas, associações empresariais e demais entidades, enquanto internamente traçava linhas de acção, constituindo equipas de trabalho que envolveram todo o corpo docente.
A exortação do Exmo. Senhor TGen Vaz Antunes, mui digno Cmte. da Instrução e Doutrina do Exército, quando da Cerimónia de Abertura Solene do Ano Lectivo de 2008/2009, para desencadear as acções tendentes a devolver ao IMPE os seus pergaminhos e a recolocá-lo no lugar honroso que merece.

A determinação do actual Comandante da Instrução e Doutrina do Exército, Exmo. Senhor TGen Maia de Mascarenhas ao declarar na sua primeira visita oficial ao IMPE o apoio e acompanhamento que concretizará, enquanto apelava ao maior empenho dos agentes de todo este edifício escolar, na consecução dos objectivos propostos.
E bem assim, a acção do actual Director, Exmo. MGen António Rosa da qual ressaltam o dinamismo, o esforço financeiro, pesem as limitações orçamentais, com vista à actualização e à modernização do parque escolar e os níveis de exigência que propõe para que a excelência seja de novo atingida, são sinais convergentes e inequivocamente afirmativos, que nos reconciliaram com a confiança e a motivação e que impulsionaram as vontades capazes de reorientar a tarefa de reconstrução e de consolidação da finalidade do IMPE.

O corpo docente reencontrado com a esperança e muito motivado ofereceu, logo em fase preliminar, intensa actividade na concepção e elaboração da proposta dos elencos de cada um dos cursos profissionais já em funcionamento este ano lectivo.
E os alunos? Deles se espera plena correspondência no desempenho do papel que lhes está reservado. Percebam que motivação não é um estado de espírito de sentido único. Que simplesmente estudem, sejam capazes de assumir que a imagem da Escola é o espelho do vosso esforço e que é através do vosso sucesso que podem contribuir para “o Instituto enobrecer”. Serão assim, certamente, mais felizes.
No momento que também é marcado pela saudade ficam, como tesouro, as aulas, os projectos materializados, os passeios, a partilha dos sonhos, os gestos encorajadores, o companheirismo…
É também a altura de reflectir do nosso intangível património, vultos históricos e eminentes figuras, desde o seu Fundador, General Xavier Correia Barreto e o insigne Patrono, D. João de Castro, a antigos quadros militares, professores, funcionários civis, alunos e ex-alunos.
Quantas pessoas especiais, algumas que entretanto partiram, ficarão guardadas no coração. Fica a mensagem de que devemos ter fé no que virá, no que queremos. Nós podemos mais, vamos fazer o que o IMPE será.
Espero e desejo ao renovado Pilão muito êxito, reafirmando uma grande esperança de que nos anos futuros será resgatado o seu prestígio.

Não é minha pretensão que este seja o som de uma despedida. Vou andar por perto, até porque tenho um neto, porventura a caminho de uma etapa que bem conheço.
Pilão uma vez, Pilão para sempre. Querer é Poder.
Disse.

ANTERIOR