Comendador da Ordem da Instrução Pública

A Ordem da Instrução Pública destina-se a galardoar altos serviços prestados à causa da educação e do ensino.

A Ordem da Instrução Pública tem a sua origem em Abril de 1927, quando foi criada a Ordem da Instrução e da Benemerência, visando galardoar os serviços prestados por nacionais ou estrangeiros ou por corporações à causa da instrução e todos os actos de benemerência pública que influíssem no progresso e prosperidade do País.

Em 1929, a Ordem da Instrução e da Benemerência foi reformulada e desdobrada em duas ordens distintas, a Ordem da Benemerência e a Ordem da Instrução Pública, ficando esta última destinada a galardoar serviços prestados à causa da instrução e mantendo o distintivo e as insígnias da Ordem originária.

O Instituto dos Pupilos do Exército foi agraciado com a distinção em 05 de Agosto de 1953

Comendador da Ordem Militar de Cristo

A Ordem Militar de Cristo destina-se a distinguir destacados serviços prestados ao País no exercício das funções de soberania.

A Ordem Militar de Cristo foi instituída pelo Rei D. Dinis em 1318 e confirmada pela Bula Ad ea ex quibus dada pelo Papa João XXII em Avignon, em Março de 1319. A Bula foi emitida a pedido do Rei D. Dinis para que a Ordem criada sucedesse à Ordem do Templo, extinta em 1311 pelo Papa Clemente V.

O Instituto dos Pupilos do Exército foi agraciado com a distinção em 14 de Outubro de 1957

Membro Honorário da Ordem Militar de Sant´Iago da Espada

A Ordem Militar de Sant’Iago da Espada destina-se a distinguir o mérito literário, científico e artístico.

O Grande-Colar da Ordem Militar Sant’Iago da Espada é o mais alto grau da Ordem e é concedido pelo Presidente da República a Chefes de Estado estrangeiros. O Grande-Colar pode ainda ser concedido pelo Presidente da República a antigos Chefes de Estado e a pessoas cujos feitos, de natureza extraordinária e especial relevância para Portugal, os tornem merecedores dessa distinção.

O Instituto dos Pupilos do Exército foi agraciado com a distinção em 07 de Maio de 1981

Membro Honorário da Ordem Militar de Aviz

A Ordem Militar de Aviz destina-se a premiar altos serviços militares, sendo exclusivamente reservada a oficiais das Forças Armadas e da Guarda Nacional Republicana, bem como a unidades, órgãos, estabelecimentos e corpos militares.

A Ordem Militar de Avis é a mais antiga das Ordens Portuguesas e ocupa um singular espaço na História de Portugal, por ter dado o nome à segunda Dinastia. A actual Ordem tem origem na antiga Ordem Militar de S. Bento de Aviz, cuja fundação está envolta em lendas, que pretendem essencialmente demonstrar uma maior antiguidade que a da Ordem Militar de Calatrava, a cuja observância se cingiu a partir do final do século XIII.

O Instituto dos Pupilos do Exército foi agraciado com a distinção em 06 de Maio de 1988

Medalha de Serviços Distintos – Grau Ouro

A Medalha de Serviços Distintos é uma condecoração militar portuguesa usada para galardoar serviços de carácter militar relevantes e extraordinários ou actos notáveis de qualquer natureza, ligados à vida do Exército, da Armada ou da Força Aérea, de que resulte, em qualquer dos casos, honra e lustre para a Pátria ou para as instituições militares do país.

A Medalha de Serviços Distintos foi originalmente criada em 2 de Outubro de 1863, por decreto da Secretaria de Estado dos Negócios da Guerra, com o nome de Bons Serviços, a segunda de três classes da medalha militar.

De 1863 a 1919, a Medalha de Bons Serviços (hoje Serviços Distintos) tinha apenas duas classes – ouro e prata, mas, pelo Decreto nº 6093, de 11 de Setembro de 1919, passou a ter também o grau cobre , de forma a premiar as classes que não tinham acesso à medalha, nomeadamente sargentos e praças.

Finalmente, em 1946, a medalha passou a chamar-se definitivamente Medalha de Serviços Distintos, mantendo até hoje o desenho que foi estabelecido em 1946.

O Instituto dos Pupilos do Exército foi agraciado com a distinção em 14 de Outubro de 1996

Membro Honorário Ordem do Infante D. Henrique

A Ordem do Infante D. Henrique destina-se a distinguir quem houver prestado serviços relevantes a Portugal, no País e no estrangeiro, assim como serviços na expansão da cultura portuguesa ou para conhecimento de Portugal, da sua História e dos seus valores.

O Grande-Colar da Ordem do Infante D. Henrique é o mais alto grau da Ordem e é concedido pelo Presidente da República a Chefes de Estado estrangeiros. O Grande-Colar pode ainda ser concedido pelo Presidente da República a antigos Chefes de Estado e a pessoas cujos feitos, de natureza extraordinária e especial relevância para Portugal, os tornem merecedores dessa distinção.

Existem também duas medalhas relacionadas: a Medalha de Prata e a Medalha de Ouro.

Os corpos militarizados e as unidades ou estabelecimentos militares podem ser declarados Membros Honorários de qualquer das Ordens Honoríficas Portuguesas, sem indicação de grau.

O Instituto dos Pupilos do Exército foi agraciado com a distinção de “Membro Honorário” no dia 25 de Maio de 2011, aquando da visita de Sua Excelência o Presidente da Republica, Professor Aníbal Cavaco Silva por ocasião do centésimo aniversário do Instituto.

Medalha Marechal Trompowsky (Brasil)

Destinou-se a ser conferida a membros do Magistério e à instituições ou personalidades que prestaram ou venham prestar relevantes serviços ao Magistério do Exército.

Características: Medalha circular, de prata ou prata dourada, arrematada, na base, com dois florões de louros. Verso: a efígie do Marechal Trompowsky (Patrono do Magistério do Exército). Reverso: o distintivo do Magistério do Exército. A fita: é de seda chamalotada, de cor carmim, com friso central dividido em duas partes iguais, com as cores nacionais verde e amarelo.

O Instituto dos Pupilos do Exército foi agraciado com a distinção em Maio de 2011

Medalha Institucional do Centenário do CM de Porto Alegre

Medalha Institucional do Centenário do Colégio Militar de Porto Alegre

Esta medalha, outorgada pelo Comandante do Colégio Militar e pelo Presidente da Associação dos Amigos do Casarão da Várzea, destina-se a distinguir personalidades ou instituições civis e militares que tenham se destacado na ação educativa que se constitui no ensino-aprendizagem, na pesquisa e na gestão de contextos educativos, na perspectiva da gestão escolar.

A Medalha Institucional do Centenário do Colégio Militar de Porto Alegre, foi imposta no Estandarte do Instituto dos Pupilos do Exército, por ocasião da visita  do Coronel Francis de Oliveira Gonçalves, Comandante do CMPA, no decorrer da cerimonia comemorativa do 102º aniversário do IPE, dia 25 de Maio de 2013.

Medalha Militar da Cruz Naval – 1.ª Classe

A Medalha da Cruz Naval é uma condecoração militar portuguesa, criada em 11 de Outubro de 1985, destinada a galardoar os militares, militarizados e civis que no âmbito técnico-profissional revelem elevada competência, extraordinário empenhamento e relevantes qualidades pessoais, contribuindo significativamente para a eficiência, prestígio e cumprimento da missão da Marinha.

A medalha é especialmente destinada aos militares da Armada, podendo, no entanto, ser concedida a militares de outros ramos das Forças Armadas, militarizados e civis, nacionais ou estrangeiros.

A medalha da cruz naval compreende 4 classes:
1.ª classe – destinada a oficiais generais;
2.ª classe e 3.ª classe – destinada a outros oficiais;
4.ª classe – destinada a sargentos e praças.

A concessão da medalha da cruz naval é da competência exclusiva do Chefe de Estado-Maior da Armada.

A Medalha da Cruz Naval, foi imposta no Estandarte do Instituto dos Pupilos do Exército, pelo Exmº Vice_Chefe do Estado Maior da Armada, VALM António Maria Mendes Calado, no decorrer da cerimonia comemorativa do 106º aniversário do IPE, dia 27 de Maio de 2017.